Você_sabe_como_são_produzidas_as_joias_artesanais.jpg.jpeg

Você sabe como são produzidas as joias artesanais?

As joias artesanais encantam os olhos de muitas mulheres e homens. São lindas, combinam com diferentes estilos e ocasiões, e valorizam a beleza de quem as usa. Normalmente, vemos apenas a joia estampando e brilhando as vitrines das joalherias. Mas, você sabe como se dá o processo de produção de joias e semi-joias artesanais até que elas cheguem às vitrines?

No post de hoje, vamos explicar todo o processo e os cuidados pelos quais elas passam em cada etapa. Confira!

Criação e prototipagem da joia

A criação da joia é a mais importante, pois é nesse momento que o designer (criador da peça) trabalha com muita informação, criatividade e inspiração de ideias. Esse processo ainda é feito por desenhos manuais, mas hoje em dia já é possível o uso de ferramentas tecnológicas que permitem que os projetos de peças sejam feitos por meio de softwares especializados.

A prototipagem pode ser chamada também de materialização de ideias, e é nessa hora que o projeto sai do papel através de um sistema de usinagem (desgaste do material até chegar-se a forma desejada). A matéria prima pode variar entre diversos tipos de materiais, desde plásticos até resinas e fios especiais.

Confecção da peça (árvore)

A confecção da peça é feita através de um processo chamado “fabricação da árvore”, em que, basicamente, um esqueleto da peça é feito para que o processo de fabricação se inicie. Primeiramente é feita a confecção do molde, para que as joias e semi-joias sejam injetadas. Com o protótipo da peça em mãos, o especialista inicia a montagem da árvore (uma estrutura central e uma base), fazendo pequenas soldagens de um lado, e do outro lado é soldado um pequeno dispositivo que servirá de apoio na montagem final.

Feito isso, o especialista fixa os pequenos pontos soldados no “caule” da árvore em linha reta, formando fileiras de acordo com o tipo de peça. Após a montagem das fileiras, é feita a soldagem de mais 4 varões externos, com o propósito de oferecer a sustentação da árvore. Esse processo exige um cuidado imenso.

Preparo do molde e injeção do metal

Depois de pronta, a árvore é usada para criar os moldes de ceras, com até 30 cavidades em diferentes formatos. Ou seja, de cada cavidade, uma nova joia pode surgir. A árvore é mergulhada em uma vasilha de aço com gesso em estado líquido. Após alguns instantes, o gesso endurece, formando um bloco misturado à árvore de resina. A peça é colocada em um forno para ganhar maior resistência,e, nesse momento os canais e cavidades escoam, conformando em diversas joias.

Detalhes e acabamento

Nesta etapa, todo cuidado é pouco, e os ourives são os responsáveis por cada detalhe. Cada pedra é cravada manualmente. A cravação é feita por furos para alojar as pedras. O acabamento é a última etapa do processo, e nele se consiste em verificar toda a peça, a fim de encontrar imperfeições ou defeitos. Quando a peça é verificada e aprovada, ela passa por um polimento especial. Não podemos esquecer também o banho da joia, que pode se de ouro, prata ou ródio (branco ou negro).

Semijoias artesanais

Em algumas joias e semijoias, como é o caso da Tinna, após o banho de ouro de altíssima qualidade, as artesãs que são verdadeiras artistas, finalizam a confecção das peças, fazendo uso de bordados, pontos de costura e outras técnicas manuais que tornam as semijoias artesanais verdadeiramente únicas.

Após essa etapa, a peça já pode ser comercializada e adorada por apreciadoras e apreciadores de uma boa peça de joia. As joias artesanais passam todos esses processos para que cheguem até às vitrines de joalherias, e o trabalho manual é minucioso e primordial para que a peça seja delicada e rica nos detalhes.

Gostou de saber um pouco mais sobre a fabricação das joias artesanais? Conte para a gente nos comentários ou em nossa página no facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>